Vereadora trans recebe escolta policial após ameaça de morte

Imagem da A vereadora trans Benny Briolly
A vereadora trans Benny Briolly (Foto: Reprodução/Instagram)

Vereadora trans recebe escolta policial após ameaça de morte

Benny Briolly (Psol), a primeira vereadora trans de Niterói, no Rio de Janeiro, agora terá escolta policial em toda a Região Metropolitana do estado, pedido esse que foi determinado pela Justiça. O motivo, é que a vereadora diz ter recebido ameaça de morte

A primeira travesti eleita no RJ, que também é a presidenta da Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente, que defende a comunidade LGBTQIAP+, que no último dia 7 de abril, viu o Governo Lula cria Conselho Nacional dos Direitos das pessoas LGBTQIAP+.

Segundo informações divulgados pelo portal G1 do Rio de Janeiro, o pedido foi feito pelo Ministério Público Federal, por meio de uma ação civil pública, contra a União e o Estado do Rio. Da decisão ainda cabe recurso.

“A medida extrema de disponibilização de escolta policial justifica-se pelo histórico de violência contra ativistas defensores dos direitos humanos”, diz o juiz Antonio Henrique Correa da Silva, da 32ª Vara Federal do RJ.

Vereadora trans é ameaçada de morte 

Benny Briolly, a primeira travesti eleita vereadora em Niterói e no Estado do Rio de  Janeiro, terá escolta policial mantida em todos os deslocamentos, inclusive dentro de prédios, sempre que for solicitado.

“(…) condenar os réus, solidariamente, a efetivarem medidas de segurança para a tutela da integridade física e a continuidade do exercício do mandato eletivo e militância política pela Defensora de Direitos Humanos Benny Briolly.”

De acordo com as informações do portal de notícias, a vereadora trans teria recebido ameaças de morte por e-mail. O magistrado cita ainda “várias ocorrências de ameaças verbais e psicológicas”. Em maio de 2021, Briolly chegou a deixar o país depois de receber ameaças de morte.

Uma dessas ameaças foi um e-mail citando o endereço da vereadora e exigindo que ela renunciasse ao cargo, ou, caso contrário, iriam até a casa dela para matá-la. A vereadora também já chegou a registrar ocorrência por crimes de racismo e transfobia contra o deputado estadual Rodrigo Amorim, conhecido por quebrar placa de Marielle Franco

Quem é a vereadora Benny Briolly? 

A vereadora trans, que já sofreu mais de 20 ameaças de morte e já foi vítima de ataques racistas e transfóbicos, precisou sair temporariamente do Brasil, após sofrer diversos ataques no ambiente virtual e real. 

Com mais de 48 mil seguidores nas redes sociais do Instagram, a vereadora trans defende seu axé e respeita a fé de todes. Ela também já foi a primeira assessora parlamentar transexual a trabalhar no Legislativo da cidade em 2016 e iniciou sua vida política partidária em 2013.

Siga-nos nas nossas redes sociais e não perca nenhuma novidade em primeira mão!

Temos uma super novidade! Agora também lançamos um canal incrível no YouTube, recheado de entrevistas e bate-papos exclusivos para os nossos seguidores.

Clique aqui e aperte o botão " Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Quer ficar por dentro de tudo em primeira mão? Junte-se ao nosso canal do MixMe no WhatsApp e mergulhe no mundo do entretenimento 24 horas por dia! Participe e compartilhe as nossas notícias!