Conheça Iguinho e Lulinha : revelação do forro de vaquejada e do piseiro

 

Iguinho e Lulinha
Iguinho e Lulinha (Foto: Reprodução/Instagram)

Conheça a dupla Iguinho e Lulinha : revelação do forro de vaquejada e do piseiro

O forró e seus desdobramentos seguem em crescimento constante. No núcleo do gênero em questão, as raízes estão cada vez mais expostas e relatar o dia a dia, através da música, é cada vez mais forte no cenário musical brasileiro. Um deles é forró de vaquejada, que agora, tem  uma dupla de peso no cenário de streamings musicais: Iguinho & Lulinha. Os irmãos, do povoado de de Curituba, em Canindé de São Franscisco (SE), entram para o time de revelações da música nacional.

Com o primeiro DVD da carreira, que ultrapassou 63 milhões de streams nas plataformas, Iguinho & Lulinha dão continuidade aos projetos de 2023 e iniciam uma série de lançamentos para o próximo CD, intitulado de “Eu Falei Forró Vol.3”. O mais novo lançamento aconteceu com a faixa Origem de Matuto, que já está disponível nas plataformas digitais.

Composta por Cabeção do Forró, Neto Barros e Raniere Mazille, a letra expressa os sentimentos dos irmãos por sua vida na roça: “Os estudos não me fez largar a sela / É bom ser doutor, mas ser vaqueiro é muito mais”. Seguindo a mesma linha, os artistas resgataram a essência do estilo musical incluindo, pela primeira vez, um grupo de metais – antiga característica forrozeira – junto com um ritmo dançante e batidas marcantes.

Com mais de 2 milhões de ouvintes mensais no Spotify, Iguinho & Lulinha tem o talento consolidado através das agendas lotadas, assim como shows confirmados nas maiores festas juninas do Brasil. O MixME conversou com a dupla de sucesso, que contou detalhes de suas trajetórias. novidades para 2023 e muitas outras curiosidades.

Confira a entrevista completa com Iguinho e Lulinha?

Como foi o encontro da dupla com a música?

Lulinha: A gente vem de de família de vaqueiro, como a gente costuma dizer filho e neto de vaqueiro. Nosso pai é aboiador. Era uma dupla da região, da nossa cidade, Isac e Itamar.  Meu pai hoje não não canta mais, apesar de não ser tão velho por problema de saúde, ele parou junto com o meu tio também. Mas,  assim a gente desde criança, desde de muito novo. Lá, a  gente já saia pra cavalgada,  missa de vaqueiro e assim vai. Meu pai levava pra gente aboiar ele. Eu lembro que ela até ensinava o repentes. Com tempo, fomos pegando o macete e não largamos mais. Nosso bisavó é conhecido como vaqueiro nacional. Através disso a gente se criou no meio. Como diz o ditado, filho de peixe, peixinho é

O que a música deu para vocês? E onde vocês querem chegar com ela ?

Lulinha: Graças a deus a música vem nos dando muita coisa,  como bens materiais e também como coisas que eu acho que são mais importantes, que é o viver, o conhecimento. Conhecimento é tudo. Estamos conhecendo lugares que nunca sonhamos que íamos conhecer, através da música. Então a música vem nos dando e sair também a oportunidade de conhecer outros lugares. Agora final do ano já tem viagem para na verdade o início do 2024 para fora do brasil. Então,  ela vem proporcionando isso para a gente e eu tenho certeza que ela vai nos proporcionar muito mais, né? Somos dos dos jovens. E que deus vem abençoado. 

Vocês estão escalados para grandes festejos juninos. O que o público pode esperar dos shows?

Lulinha: Fomos escalados para grandes festas juninas, que só ouvia falar quando era pequeno. São João de Caruaru e outros. Um exemplo a ser contado é sobre a vaquejada de Serrinha.  Sou criado no mundo da vaquejada e ouvia falar muito da vaquejada em Serrinha. Tem até uma música que fala disso. Eu escutava ela e ficava tipo sonhando onde é esse local. E agora iremos tocar lá.  O público pode esperar,  como em toda a festa, não só em grandes eventos,  que iremos subir no palco com coração. Uma alma, porque a gente foi criado naquilo e é nossa vida, que é cantar. A gente tem amor pelo que faz toda e  gente dá o máximo para dar entregar ao público. Aquela pessoa que tá ali que pagou ingresso pi que não pagou, mas que foi lá para curtir, que ficou até 3 da manhã. Às vezes a gente chega na festa e somos o últimos a tocar e vejo o pessoal ali esperando.  Então a gente dar o máximo pode esperar um showzaço, de coração mesmo para o público. 

 

Quais são as maiores referências musicais da dupla?

Iguinho: Nosso pai e tio são abaiadores. E eles foram uma das dos maiores incentivos, né? Referências, digamos assim, pra gente que desde muito pequeno acompanhava eles para pagar vaquejada, para cavalgar, para rádio. Eles são chave principal para essa resposta, mas também têm outros artistas. Digamos assim de fora de casa, que esses são de casa, né, tipo Cara Veia. Gente escutava muito quando quando criança. E o Danielzinho, de Sergipe e Mano Walter. (Iguinho)

O que vocês podem adiantar de projetos para 2023?

Iguinho: Muita coisa boa para 2023. Estamos trabalhando em CD de São João. Feats com outros artistas. Programas de Tvs, que é a realização de um grande sonho que é passar na televisão. Fiquem todos ligadinhos aí que na nossa redes sociais. Estamos juntos e misturados.

 

 

 

 

Siga-nos nas nossas redes sociais e não perca nenhuma novidade em primeira mão!

Temos uma super novidade! Agora também lançamos um canal incrível no YouTube, recheado de entrevistas e bate-papos exclusivos para os nossos seguidores.

Clique aqui e aperte o botão " Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Quer ficar por dentro de tudo em primeira mão? Junte-se ao nosso canal do MixMe no WhatsApp e mergulhe no mundo do entretenimento 24 horas por dia! Participe e compartilhe as nossas notícias!