Melissa Barrera se manifesta após ser cortada de “Pânico 7”

Melissa Barrera foi cortada da produção de Pânico 7 pelo estúdio Spyglass
Melissa Barrera foi cortada da produção de Pânico 7 pelo estúdio Spyglass (Foto: Reprodução/Instagram)

Melissa Barrera foi cortada do elenco “Pânico VII”, dirigido por Christopher Landon, após se pronunciar sobre o conflito entre Israel e Palestina. A atriz mostrou apoio aos palestinos na Faixa de Gaza, porém a Spyglass Media caracterizou as publicações como conteúdo antissemita.

+ Após Melissa Barrera, Jenna Ortega também deixa elenco de ‘Pânico 7’

Nas redes sociais, Barreira se posicionou contra as alegações do estúdio. “Em primeiro lugar, condeno o antissemitismo e a islamofobia. Condeno o ódio e o preconceito de qualquer tipo contra qualquer grupo de pessoa”, afirmou.

Melissa Barrera manda recado para o estúdio Spyglass após corte do elenco "Pânico 7"
Melissa Barrera manda recado para o estúdio Spyglass após corte do elenco “Pânico 7” (Foto: Reprodução/Instagram)

Em seguida, a mexicana ressaltou a importância de todas as pessoas merecerem o acesso aos direitos humanos. “Todas as pessoas nesta terra – independentemente da religião, raça, etnia, gênero, orientação sexual ou estatuto socioeconômico – merecem direitos humanos iguais, dignidade e, claro, liberdade”.

Publicações de Melissa Bandeira

Desde o início da guerra, que começou em outubro, Melissa Bandeira compartilhou dezenas de publicações condenando a reação de Israel ao ataque do grupo terrorista Hamas. Apesar de lamentar a morte de israelenses, a mexicana afirma que a Faixa de Gaza está sendo tratada como “campo de concentração”.

“Encurralar todos juntos, sem ter para onde ir, sem eletricidade, sem água… As pessoas não aprenderam nada com a nossa história. E assim como nossas histórias, as pessoas ainda assistem silenciosamente a tudo acontecer. Isso é genocídio e limpeza étnica”, acusou.

Qual foi o comunicado da Spyglass?

Em comunicado à imprensa, a Spyglass foi incisiva com o afastamento de Melissa Bandeira do filme. O motivo estaria justificado pelo fato de Gary Barber e Roger Birnbaum, fundadores do estúdio, serem judeus.

“A posição da Spyglass é inequivocamente clara: temos tolerância zero ao antissemitismo ou ao incitamento ao ódio sob qualquer forma, incluindo falsas referências ao genocídio, depuração étnica, distorção do Holocausto ou qualquer coisa que ultrapasse flagrantemente a linha do discurso de ódio”, informaram.

Fique por dentro de tudo o que acontece no cinema:

+ Elenco de ‘Modern Family’ se reúne pela primeira vez após a série

+ Inês Brasil divulga ‘Round 6: O Desafio’ na Netflix e viraliza

+ Novos episódios do reality show Round 6 chega na Netflix

Siga-nos nas nossas redes sociais e não perca nenhuma novidade em primeira mão!

Temos uma super novidade! Agora também lançamos um canal incrível no YouTube, recheado de entrevistas e bate-papos exclusivos para os nossos seguidores.

Clique aqui e aperte o botão " Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Quer ficar por dentro de tudo em primeira mão? Junte-se ao nosso canal do MixMe no WhatsApp e mergulhe no mundo do entretenimento 24 horas por dia! Participe e compartilhe as nossas notícias!