Ludmilla faz baile funk no Catar com presença de famosos

Nesta quinta-feira (1) Ludmilla se apresentou em um evento privado em Doha, no Catar, para uma plateia de brasileiros, incluindo alguns famosos, que estão no país para assistir aos jogos da Copa do Mundo. A cantora transformou a festa em um verdadeiro baile funk e animou o público com seus hits.

Ludmilla
Ludmilla faz baile funk no Catar com presença de famosos. (Fotos: Reprodução/Instagram).

“Noite brasileira. Nem parece que estamos no Catar! Ludmilla dominou tudo”, escreveu a influenciadora Belle Silva, ao registrar momentos da noite em seus stories. Rafa Kalimann, Karoline LimaAline Gotschalg MC Mirella foram outras personalidades que estiveram presentes. A festa ainda contou com show de MC Carol.

Durante seu show, Ludmilla não deixou de cantar suas músicas com referências LGBTQIA+ e ainda declarou seu amor pela esposa, Brunna Gonçalves, também presente, ao cantar o sucesso Maldivas.

Lud embarcou para a viagem ao Catar na última terça-feira (29).  Em seu Twitter, a cantora anunciou que promoverá ações em favor da comunidade LGBTQIAP+ no Brasil, já que a escolha do Catar como país sede do mundial da FIFA em 2022 está sendo criticada por conta da legislação e políticas de caráter Anti-LGBTQIAP+, machistas e misóginas.

“Tô embarcando pro Catar, levando a minha música pra um dos eventos esportivos mais importantes do mundo. Desde que recebi o convite, fiquei pensando em como poderia contribuir com as causas LGBTQIA+ além da minha existência, resistência e tudo que represento. Pra mim, não faria sentido não devolver algo pra minha comunidade, já que o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTQIA+ no mundo”, escreveu Ludmilla.

A estrela do pop brasileiro segue explicando que firmou parceria comercial para dar apoio a algumas instituições voltadas para a causa durante 2023. “Tive a ideia e chamei a Budweiser, começar um movimento de apoio a instituições que apoiam pessoas da comunidade, seja com iniciativas criativas, de acolhimento ou recursos básicos”, continuou.

“Iremos escolher cinco instituições para apoiar durante todo o ano de 2023”, completou ela pedindo aos seguidores para ajudarem na seleção dos projetos que serão beneficiados.

No Catar, a homossexualidade é criminalizada e pode ser punida com penas como oito anos de prisão ou até mesmo pena de morte. Manifestações a favor da comunidade LGBTQIAP+ dentro do país também podem resultar em prisões.

Siga-nos nas nossas redes sociais e não perca nenhuma novidade em primeira mão!

Temos uma super novidade! Agora também lançamos um canal incrível no YouTube, recheado de entrevistas e bate-papos exclusivos para os nossos seguidores.

Clique aqui e aperte o botão " Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Quer ficar por dentro de tudo em primeira mão? Junte-se ao nosso canal do MixMe no WhatsApp e mergulhe no mundo do entretenimento 24 horas por dia! Participe e compartilhe as nossas notícias!