Toquinho revela detalhe sobre Chico Buarque: “toma lexotan para cantar”

O cantor Toquinho revelou que Chico Buarque não é muito fã de realizar shows. O artista afirmou que o colega costuma tomar calmantes para fazer suas apresentações.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
Cantor Toquinho (Reprodução)
Cantor Toquinho (Reprodução)

Em entrevista para o Venus Podcast, Toquinho contou alguns dos perrengues enfrentados por Chico nos bastidores e explicou os motivos pelo qual o amigo é tão recluso.

publicidade

“No trabalho, ele não é aquela pessoa que gosta de fazer show, de viajar, de fazer disco. Ele faz um disco a cada seis ou sete anos, e escreve um livro. E eu sou um artista que gosta do palco e não paro de fazer shows. Exatamente o contrário do Chico. O Chico odeia palco”, contou.

Toquinho aproveitou para relembrar um momento que dividiu o palco com Chico em Milão, na Itália. Na ocasião, o ícone da Bossa Nova ficou preocupado por ter esquecido seus calmantes. “O Chico tomava calmante para entrar no palco. Ele toma lexotan para cantar quatro músicas. Então você acha que ele adora palco? Não”, afirmou.

publicidade

Apesar da distância, Toquinho destacou que a amizade entre eles segue firme. “Nossa amizade é protegida pela distância, porque não te atrito. Então, quando a gente se encontra, é sempre bom”, comentou. “A disponibilidade da amizade é a mesma. Eu sei que se eu precisar, ele vai estar lá, e vice-versa!”, finaliza.

Outra história sobre o artista

Quem também revelou uma história com Chico Buarque recentemente foi a atriz Bruna Lombarde. A famosa disse que o primeiro encontro com o artista, que aconteceu há mais de 50 anos, foi muito marcante.

Em live com a escritora Martha Medeiros, Bruna revelou que sempre foi muito fã de Chico e quando se deparou com ele em sua frente, mal conseguiu falar seu próprio nome.

publicidade

“Eu menina era muito fã do Chico Buarque, e obviamente ele nem sabia que eu existia. Eu tinha um retrato dele na porta do meu quarto junto com outros artistas de música. E um dia eu fui ver um show dele. Por alguma razão que eu não lembro, nesse dia que eu fui ver o show consegui ir até o camarim”, relatou Bruna.

“Bom, entrei naquele camarim e ele veio me cumprimentar como cumprimentou todo mundo e eu não consegui falar nem meu nome. Não consegui falar nada. Nem ‘oi’, nem ‘gosto de você’, nem ‘que músicas boas’, ‘nem nada’”, disse.

O que você achou? Siga @mixmebrasil no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Formado em jornalismo pela UNIME Salvador, possui passagem por rádio, jornal e trabalha com público de internet desde 2016. Atualmente tem focado em projetos de audiovisual, cultura pop e celebridades.

Veja mais ›
Fechar