Playlist Dia Internacional da Mulher: 13 cantoras para conhecer nesta data

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, 08 de março, o portal MixMe separou 13 grandes nomes de cantoras revelações para você conhecer nesta data. Dotadas de um talento notável, as artistas começaram a ganhar mais visibilidade musical e prometem decolar.

publicidade
 Dia Internacional da Mulher
Playlist Dia Internacional da Mulher: 13 cantoras para conhecer nesta data (Reprodução)

Conheça as 13 cantoras da playlist do Dia Internacional da Mulher

Malía

Nascida na Cidade de Deus, a cantora tem feito um sucesso cada vez maior com suas canções pops recheadas de autenticidade. Com referências como Djavan e Elis Regina, a carioca mistura o melhor da música brasileira com modernidade e uma pegada única.

publicidade

Rachel Reis

Uma das grandes promessas de 2022, a baiana fez sucesso com o single “Maresia”, em que sua voz suave destaca. A partir daí, ficou conhecida pela mistura entre MPB, pop, arrocha e pagodão. Definitivamente trazendo um som caracteristicamente brasileiro, a cantora brinca sobre onde se encaixa nos ritmos musicais: “As pessoas que me escutam me associam a ‘brasilidade’. Não sei, isso não é nem um gênero”.

Melly

Com uma maturidade vocal impressionante e um estilo artístico ímpar, a cantora também baiana começou a ganhar mais visibilidade no festival Afropunk Bahia e lançou seu primeiro álbum, intitulado “Azul”. Misturando Soul, R&B e trap, a artista se inspira em nomes como Amy Winehouse, Nina Simone, Tim Maia e Djavan na hora de produzir

Sued Nunes

A Bahia ganha protagonismo quando o assunto é talento, e Sued é mais uma das integrantes do estado. Natural de Sapeaçu, a cantora já possui visibilidade no cenário musical do Recôncavo, e traz em seu trabalho referências da sua trajetória enquanto mulher negra e do candomblé. Segundo a baiana, suas produções são recheadas de influências da musicalidade regional, como Margareth Menezes, Olodum, Lazzo Matumbi e Baiana System.

publicidade

Agnes Nunes

Mulher, negra e nordestina, Agnes se declara uma “parabaiana”: nascida na Bahia mas moradora da Paraíba desde os seus 9 meses, a cantora é um dos novos xodós da música brasileira. No que diz respeito ao seu estilo, Nunes afirma que não gosta de se rotular, mas que curte o R&B e que tem um pezinho na nova MPB.

Bione

Aos 18 anos, a rapper Pernambucana já se apresentou em festivais, lançou livros e participou do Slam BR 2018. Bione faz parte da cena de poetas e rappers negras que sempre produziram, abordando as questões de minorias e a necessidade da melhoria de oportunidades.

publicidade

A Dama

Allana Sarah, também conhecida como “A Dama”, estreou no pagodão baiano e conseguiu visibilidade em um gênero majoritariamente masculino. Um marco da folia, a artista é negra, lésbica, moradora da periferia de Salvador, e traz agito nos trios carnavalescos da cidade.

Joyce Alane

Pernambucana de voz portente, carisma e criatividade, Joyce viralizou com um cover da música “Dizem que sou louca”, iniciando no cenário musical recifense com muito potencial. Aproveitando a oportunidade, a cantora passou a investir em suas músicas autorais.

Tasha & Tracie

Irmãs gêmeas que agora protagonizam a categoria de revelações do rap nacional, as artistas produzem a partir de um lema principal: “Somos arte, rua, África e não damos a mínima para sua etiqueta”. Atuando como DJs, produtoras, diretoras de arte, palestrantes e designers, Tasha e Tracie afirmam não querer se rotular, e garantem que todo o seu trabalho é em prol da luta dos homens e mulheres negras.

publicidade

Flora Matos

Rapper já bem consolidada no cenário musical independente, a brasiliense se alavancou com seu primeiro hit, “Pretin”, que fez sucesso estrondoso. Nome familiar nos eventos culturais de São Paulo, a cantora possui estilo e voz marcantes.

Jup do bairro

Rapper multiartista, lançou seu EP de estreia “Corpo sem juízo” em 2020, sucesso entre a crítica e o público. Delineando sua identidade, a artista trans fala de suas vivências e analisa de forma crítica o preconceito e experiências sofridas.

Majur

Com uma visibilidade crescente na indústria musical, Majur também é uma cantora e compositora trans, que transita entre a nova música brasileira, o pop e o R&B em uma mistura única e moderna, completamente inovadora.

publicidade

Juliana Linhares

A cantora e compositora potiguar oferece, em suas músicas, um banquete de signos nordestinos e honra suas origens com orgulho. Com uma poética abrasiva e intensa, Juliana promete grandes frutos no cenário musical independente.

Ouça a playlist especial do Dia Internacional da Mulher

O que você achou? Siga @mixmebrasil no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Milena Cerqueira

Formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), tenho interesse e experiência em jornalismo cultural, comunicação interna e assessoria de imprensa. Na área acadêmica, realizei pesquisa referente ao trabalho de conclusão de curso nas áreas de música e cultura pernambucana.

Veja mais ›
Fechar