Mônica Martelli relembra abuso sofrido na adolescência e expõe algo

Mônica Martelli
Mônica Martelli (Foto: Reprodução/Youtube)

Mônica Martelli foi entrevistada por Giovanna Ewbank e Fernanda Paes Leme, no podcast ‘Quem Pode, Pod’, e fez uma revelação apavorante. A atriz relembrou um episódio marcante da adolescência em que foi estuprada.

A atriz sofreu um ‘estupro conjugal’, quando é feito pelo parceiro afetivo e por estar em um relacionamento, na época, não levou o assunto tão a sério e nem sabia que tinha sido vítima de um estupro, mas contou que teve “luta corporal”.

“Eu sou de uma época em que você ter uma luta corporal com o menino era normal. Você beijava o menino, ela vinha com a mão no peito. Você tirava a mão no peito, ele a mão na bunda”, iniciou.

Na época, Mônica tinha 14 anos e estava apaixonada pelo rapaz:  “Então você passa a noite beijando e na luta corporal, entendeu? E isso era normal. Aí a primeira transa foi assim, essa luta corporal, mesmo eu sendo apaixonada”.

Aos 54 anos, atualmente, Mônica entende o que passou e afirma que tudo depois do ‘não’, é assédio. “Quando eu entendi, de pouco tempo para cá, que teve essa conscientização maior, que estupro é simplesmente você não querer, se você fala não e ele forçar é estupro, aí eu falei: então eu fui estuprada. Não queria, foi essa luta corporal. Acabou que rolou, foi legal, era apaixonada pelo cara, mas não queria, não queria naquele dia, naquele lugar”, lamentou.

Falta de libido

Na mesma entrevista, Mônica revelou o motivo do fim do seu primeiro casamento. A atriz ressaltou que, a falta de desejo sexual provocou a separação.

“Tudo ali [texto da peça] está trincado. As minhas dores, as minhas inseguranças, a crise do casamento, a falta de libido, as tentativas de salvar tudo… Está tudo ali. Eu sempre me perguntava ‘será que é só mais uma crise?’”, relembrou.

A separação partiu dela, o que pegou seu ex-marido de surpresa: “Eu já fazia terapia há muito tempo, então foi um choque tudo o que falei para ele. Já tinha elaborado tudo há muito tempo, ele ainda estava aprendendo. Mas ajudou sim… Ajudou a ter uma separação mais digna”.