Guta Stresser revela diagnóstico de doença: ‘Muito medo’

A atriz Guta Stresser revelou em entrevista à revista Veja que foi diagnosticada com esclerose múltipla, doença neurológica desmielinizante autoimune crônica provocada por mecanismos inflamatórios e degenerativos. Na conversa, ela fez um relato sobre os primeiros sintomas e como foi que recebeu o diagnostico.

publicidade
Guta Stresser revela ter esclerose múltipla (Foto: Reprodução/Instagram)
Guta Stresser revela ter esclerose múltipla (Foto: Reprodução/Instagram)

“Comecei a esquecer palavras bem básicas, como copo e cadeira. Se ficava duas horas parada assistindo a um filme na TV, logo sentia dores musculares. Tinha formigamentos frequentes nos pés e nas mãos, enxaquecas fortíssimas e variações de humor. O pior era um zumbido constante no ouvido. Parecia que havia ali um fio desencapado, provocando um curto-circuito na minha cabeça.”

publicidade

Guta contou com detalhes como foi o momento em que recebeu a notícia de que estava com a doença.

“Após uma ressonância magnética, recebi enfim o diagnóstico: esclerose múltipla. Perdi o chão na mesma hora. Nem sabia direito o que era aquilo, só que afetava o cérebro, e só isso me soou aterrorizante. O médico explicou que se trata de uma doença autoimune em que o próprio corpo ataca a mielina — a capa de gordura que reveste os neurônios e ajuda nas conexões da mente”

publicidade

A atriz acrescentou que os médicos ainda não conhecem uma forma de prevenir a esclerose.

“Os especialistas não sabem por que esse processo é desencadeado. O que está comprovado é que atinge os movimentos e a fala. Tive muito medo. Pela minha cabeça se desenrolava um filme em que eu ficava completamente incapacitada. Mas, com a ajuda do neurologista, entendi que diagnóstico não é sentença e que, apesar da doença não ter cura, ela tem, sim, tratamento”

Guta Stresser encerrou contando que está se cuidando e aprendendo a conviver com a nova condição “Hoje pratico ioga, mudei a alimentação para melhor e faço todo tipo de exercício para o cérebro, de leitura de livros a palavras cruzadas”, disse.

publicidade

“Sei que vou ter de conviver com a esclerose múltipla para o resto da vida. Que ela seja longa e plena. Cada dia que passa tem aquele gosto de uma pequena vitória”, completou.

O que você achou? Siga @mixmebrasil no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Rafael Lima

Jornalimo pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Possui passagem por assessoria de comunicação e produção de críticas musicais desde 2020 em redes sociais. Apaixonado pelo universo e cultura pop, pesquisa e produz conteúdo para o nicho desde 2019.

Veja mais ›
Fechar