Flow Podcast: criador se desespera com pedidos de retirada de vídeos

O podcaster Igor Coelho, também conhecido como Igor 3K, um dos criadores do Flow Podcast, falou pela primeira vez sobre a repercussão negativa do caso de Monark, antigo apresentador do Flow, sob os antigos convidados do programa.

publicidade
Igor 3k Flow Podcast
Igor Coelho, o Igor 3K, apresentador do Flow Podcast (Reprodução/Youtube)

Durante um dos últimos episódios do podcast, Igor comentou que recebeu diversos pedidos públicos e privados de personalidades, para que as entrevistas sejam retiradas do ar. Segundo o influenciador, a onda de posicionamentos foi desproporcional.

publicidade

“Tiveram uns caras que chegaram… Eu acho escroto ainda, mas pelo menos os caras foram gente boa de mandar [mensagem] para mim no privado… Mas teve uma galera que soltou na internet, e assim, parecia uma reação em cadeia”, declarou Coelho, completando que não esperava uma reação de algumas pessoas, ao qual ele considerava “amigos”.

“Mas, pô, você está aqui no programa comigo, a gente está trocando ideia, e eu não falei nenhuma merda absurda nesse programa aqui, aí daqui a 20 programas eu falo uma merda absurda e você vai tirar esse programa?”, questionou.

Dede o episódio envolvendo a fala de Monark, que defendeu a a criação de um partido nazista no Brasil, cerca de 30 personalidades pediram para que o podcast retirasse entrevistas do ar. Entre eles estão nomes como: Dan Stulbach, Tico Santa Cruz, Gabriela Prioli, Benjamin Back, Lucas Silveira, MV Bill, João Gordo e Diogo Defante.

Ainda durante o programa, Igor, que reduziu o salário para não precisar demitir alguns funcionários, revelou que o Estúdio Flow está passando por um grande perrengue para se manter de pé desde as advertências do Youtube. A plataforma desmonetizou vídeos do canal e também tem diminuído seu alcance.

publicidade
“Inclusive, eu preciso da ajuda de vocês que está assistindo, a galera que curte o ‘Flow’, e não está recebendo a notificação… Não existe mais isso porque, não sei se vocês sabem, mas a gente está desmonetizado há duas semanas e meia, apesar de o YouTube dizer que não, a gente vê que afeta muito o alcance, o público nem vê que a gente está ao vivo”, completou.

O que você achou? Siga @mixmebrasil no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Formado em jornalismo pela UNIME Salvador, possui passagem por rádio, jornal e trabalha com público de internet desde 2016. Atualmente tem focado em projetos de audiovisual, cultura pop e celebridades.

Veja mais ›
Fechar