Em ‘Lady Leste’, Gloria Groove confirma que sabe o que está fazendo no pop

Desde que Daniel Garcia assumiu a identidade drag queen de Gloria Groove, sua maturidade artística tem evoluído visivelmente – em ‘Lady Leste’ só confirma isso. Se no EP ‘Affair’ a artista já havia mostrado que pode transitar por vários aspectos diferentes da música pop, .  em seu novo álbum ela reafirma sua versatilidade e se agiganta no cenário nacional.

publicidade
Gloria Groove Lady Leste
Capa de ‘Lady Leste’.

O segundo álbum da cantora de 27 anos tem como base as suas origens na zona leste de São Paulo, daí vem o título do projeto. A estética pop que segue referências internacionais tem, na obra, a adição de elementos essencialmente brasileiros, deixando bem marcada a identidade de Gloria. 

publicidade

A produção de Ruxell e Pablo Bispo brinca com as possibilidades que essa equação pode oferecer. O funk, é o ritmo mais presente ao longo das 13 faixas e é combinado com a música eletrônica, com o R&B, com o rock e com o hip hop. Além disso, o time ainda encontra espaço para o pagode e o arrocha, sem sair do contexto do disco. 

Gloria parece desconhecer o significado da palavra limite. Sua performance impressiona pela facilidade com que ela transita entre um estilo e outro com naturalidade e como ela se mostra confiante em confortável em tudo, seja nos versos do funk, no flow do rap, nos refrões do pop ou no swing do pagode.

Leia também: Gloria Groove emplaca “Lady Leste” em 1º lugar no Spotify Global

publicidade

“SFM” abre ‘Lady Leste’, com uma introdução de guitarras numa pegada rock que logo transita rapidamente para a batida do funk, causando arrepios nos tiozões metaleiros Brasil afora. Essa mistura provocativa continua no, já hit, “Bonekinha”, primeiro single lançado do projeto.

“Vermelho” é um funk que encontra a música eletrônica e é feito para tocar nos paredões, com a mixagem destacando o vocal de Gloria. A faixa conta com um sample de “Mina de Vermelho”, música de MC Daleste, homenagem póstuma ao artista que marcou as origens da drag.

“Fogo No Barraco”, usa cadência do samba para desfilar um funk com cara de viral do TikTok, com a participação de MC Tchelinho. “Tua Indecisão” cai totalmente no pagode com tudo o que o gênero tem direito, incluindo os vocais puxados para o R&B e  a participação do Sorriso Maroto.

publicidade

“Apenas um Neném” surpreende por ser um arrocha delicioso, que diminui um pouco a pressão das outras faixas com um refrão forte, pegajoso e a participação solar e sedutora de Marina Sena. “Jogo Perigoso” vai na direção do reggaeton e do reggae.

“Greta” é a hora de colocar o rap nessa mistura pop, nela a artista encarna uma personagem mais provocativa e agressiva, com tons de vilania. “Pisando Fofo”, continua apostando no hip hop, dessa vez puxando para o trap, com a participação de Tasha & Tracie

“Leilão” inicia um trio de músicas em que Gloria comenta sobre temas relacionados à indústria musical. Aqui, ela começa falando sobre a forma como é assediada pelas marcas que querem se associar ao seu nome. “LSD” é mais melancólica e fala sobre o vazio emocional em meio a fama , o luxo, sexo e  drogas. 

publicidade

“A Queda” é o grande hit da obra até então, com um sucesso explosivo quando foi lançada no ano passado, debate o espetáculo do linchamento virtual e da decadência de figuras públicas diante da mídia. “Sobrevivi” encerra o track-list com uma balada rock romântica com ares épicos acompanhada da voz de Priscilla Alcantara

Em ‘Lady Leste’, Gloria Groove resgata suas origens para mostrar as suas várias faces. Repleto de um pop maleável, que transborda personalidade, o álbum reflete não só a evolução dela como artista, mas também um novo estágio de maturidade para a música pop brasileira. Gloria estabelece excelência em tudo o que faz. 

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

O que você achou? Siga @mixmebrasil no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Rafael Lima

Jornalimo pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Possui passagem por assessoria de comunicação e produção de críticas musicais desde 2020 em redes sociais. Apaixonado pelo universo e cultura pop, pesquisa e produz conteúdo para o nicho desde 2019.

Veja mais ›
Fechar