BBB 23: Irmã de Ricardo se pronuncia após treta entre ele e Fred

BBB 23
Ricardo do BBB 23 (Imagem: Reprodução / Globo)

A madrugada desta segunda-feira (06) foi marcada com a briga entre Ricardo e Fred Desimpedidos. Os dois tiveram um desentendimento depois da formação do 8º Paredão do programa. Alface ficou ainda mais revoltado quando escutou o colega dizendo que priorizava pessoas de fora do grupo e votaria em seu próprio time antes de Gabriel, Marvvila e Sarah. Do lado de fora do BBB 23, Renata Camargo, irmã do biomédico, comentou o assunto.

Para Renata, Fred foi injusto em chamar seu irmão de “traíra”, pois teria tomado atitudes parecidas com as dele ao manter amizade com o time rival. “É aquele ditado: dois pesos, duas medidas. Fred teve a mesma atitude que meu irmão (ao confessar ter aliados em outro quarto), mas a do Ricardo ele julgou como jogo sujo, enquanto a dele era para ser ‘bonitinho”, afirmou em entrevista ao Jornal Extra.

Entretanto, ela acredita que os dois podem voltar a ter uma amizade, mas não jogam mais juntos no Big Brother. “A gente não esperava uma briga entre os dois, até porque eles entraram juntos, sempre se deram bem. Mas coisas do jogo acontecem. Acho que eles podem se resolver, meu irmão não vai levar para o coração, porém no jogo, acho que acabou a relação”, disse ela.

Renata também contou que Ricardo tinha o apelido de “bomba-relogio” e não era atoa. Com seu jeito temperamental, ela contou que o irmão costuma “estourar” quando mexem com ele.

“O conhecendo bem, e vendo a briga com o Fred, eu não esperava menos da atitude de Ricardo. Ele não abaixa a cabeça para ninguém, ainda mais tendo razão. Aqui fora, meu irmão sempre foi de se posicionar e verbalizar quando algo o incomoda“, explicou a moça.

A forma “explosiva” do brother é uma maneira que ele criou para se defender, disse a irmã. “E no programa já tem toda a tensão, é o signo de áries (de Ricardo), é o cansaço, é tudo que faz com que as emoções fiquem à flor da pele, por isso esse apelido de “bomba-relógio” (risos). A verdade é que meu irmão sempre precisou, a vida toda, se fazer ser ouvido. Nós somos de família humilde e já sofremos muito preconceito”, completou.