publicidade
   

News

Queen B faz 34 anos: confira os 15 melhores singles da diva



A nossa Queen B está completando 34 anos nessa sexta-feira, 4 de setembro, e o mundo inteiro está celebrando – e é claro que o MIXME não ia ficar de fora da festa, né?

Queen B faz 34 anos: confira os 15 melhores singles da diva

Beyoncé não é chamada de Queen B à toa. Ela é, sim, a diva das divas da atualidade! Mas isso você já deve estar cansado de saber.

Então, o MIXME resolveu causar criar uma lista com os 15 melhores singles de todos os tempos da cantora. Com certeza não são poucos e foi uma seleção difícil de se fazer – BeyHive, não briguem com a gente! Nós amamos todos vocês.

15. Pretty Hurts – Lançada em 2014, um dos singles do último álbum da rainha fala sobre o mundo das aspirantes à miss alguma-coisa. A letra é realmente poderosa, dizendo o quanto a beleza, na verdade, pode machucar e até onde as pessoas vão para alcançar a beleza ideal. Composta pela própria cantora com auxílio de Joshua Coleman, Sia Furler e Bobby Long e com a produção ficou por conta de Ammo e Knowles.

14. Love On Top – Presente no seu quarto álbum de estúdio, “4“, em 2011, Love On Top nem sequer foi lançada como single, mas ficou nas paradas de sucesso por muito tempo que não teve como Beyoncé ignorá-la como hit. Principalmente depois do clipe, em que a cantora se inspirou no New Edition, The Jackson 5 e The Temptations, seus grupos masculinos favoritos. Ah, e claro, a maravilhosa vez que ela apresentou a canção no VMA 2011 anunciando a gravidez da Baby Blue. <3

13. Ring The Alarm – Gravada para seu segundo álbum de estúdio, o B’Day, em 2006, a canção foi o segundo single promovido do disco. Um dos motivos para ela estar nessa lista é que ela tem uma influência de punk rock, mesmo sendo R&B. A letra, por sua vez, fala sobre uma mulher que se sente ameaçada e não está disposta (obrigada) a permitir que outra mulher tire proveito dos esforços de seu marido para melhorar a vida do seu amante – o que gerou rumores de que Jay-Z estaria tendo um caso com Rihanna. A recepção da música dividiu os críticos, que disseram que é diferente dos outros trabalhos da Knowles. Nomeado para o Grammy de Melhor Performance de R&B, vem se divertir com Ring The Alarm!

12. Naughty Girl – Escrita por Beyoncé, Scott Storch, Robert Waller e Angela Beyoncé para o primeiro álbum solo da cantora (Dangerously in Love, de 2003), Naughty Girl recebeu várias indicações a prêmios. Ela não fez o mesmo sucesso que outros singles do mesmo álbum, como Crazy In Love e Baby Boy (que você verá mais a seguir), mas com certeza conquistou as pistas de dança e fez muita mulher se sentir bem mais sexy.

11. Halo – No terceiro álbum de estúdio da Queen B, I Am…Sasha Fierce, de 2008, Halo foi uma das músicas que mais conquistaram o público geral. Classificada como uma balada pop, a música recebeu várias análises positivas dos profissionais, que elogiaram o vocal da artista. Em seus shows, Bey costuma dedicar essa música à lenda Michael Jackson.

10. Diva – Também presente no álbum I Am… Sasha Fierce, a canção despertou a diva de todas as mulheres que já ouviram e dançaram essa música. No clipe, a gente pode ver bem o que Beyoncé quis passar com o single: Diva – 1. Bem sucedida e glamurosa performer mulher ou personalidade (uma diva fashion); 2. Especialmente: uma cantora que conquistou a popularidade (diva do pop).

9. Get Me Bodied – O álbum B’Day, 2006, é recheado de singles! Get Me Bodied não estaria de fora de jeito nenhum dessa lista. Lançada como o quinto single do disco, ficou no topo de várias paradas. Além do mais, quem é consegue ficar parado com essa canção, gente? Quantas vezes vocês já não tentaram reproduzir a coregofria com as miga (ainda mais a versão remix?). Vem fazer passinho com a gente:

8. If I Were a Boy – Quem já chorou por causa de algum boy com essa música sabe o que é ficar triste, com raiva e querer dar a volta por cima. Primeiro trabalho de I Am…Sascha Fierce, é a única canção do álbum que Bey não co-escreveu (o autor é BC Jean, que se inspirou no fim de um relacionamento – jura?!).

7. Baby Boy – Provavelmente uma das músicas de maior sucesso da cantora, que está em seu primeiro álbum lá de 2003. Single após Crazy In Love, ele ficou no topo das paradas por 9 semanas consecutivas. O clipe, que você assiste a seguir, foi eleito um dos mais sexys dos últimos tempos, graças as danças que hoje são icônicas da rainha! Sem contar que tem a ilustre participação do Sean Paul, o Pitbull da época.

6. Dèja Vú – Com participação do marido Jay Z, a canção foi produzida para o seu segundo álbum. Combinando com o R&B funk da década de 70, o single ganhou alguns prêmios e, para variar, ficou em diversas paradas da Billboard. O clipe, por sua vez, não foi muito bem recebido e os fãs fizeram uma petição pedindo que ele fosse regravado, citando seu tema sexual e as roupas da cantora, como alguns exemplos.

5. Drunk In Love – Como não amar essa canção, né? Presente no seu último álbum e, novamente, com a participação do marido, a canção é uma das mais queridas do disco. O clipe? A gente não tem nem palavras para descrever tamanha sensualidade toda em preto e branco! Sem contar que é inevitável relembrar do sucesso Crazy In Love.

4. Run The World (Girls) – Bey veio para mostrar que quem manda nessa coisa aqui são as mulheres mesmo! Produzida pelo Afrojack, a canção está presente no quarto álbum da cantora, de 2011. Permaneceu por cinco semanas nas paradas e contém ritmos de hip hop, dancehall, R&B e o pop da Bey. Promovendo o empoderamento feminino, o single virou e é até hoje um dos hinos que as mulheres adoram na hora de se inspirar na força feminina.

3. Single Ladies – Relacionamentos, homens, mulheres, pé na bunda, empoderamento, tudo isso é maravilhoso (mesmo). Mas, o que a gente estava realmente precisando lá em 2008 era de um hino para as mulheres solteiras que só se envolvem com homens que não sabem dar valor. Quando a gente diz que I Am… Sascha Fierce é um álbum de ouro, é para acreditar! A canção, além de mostrar o contraste entre o lado pessoal da cantora e o alter ego Sascha Fierce, ela foi inspirada no seu próprio casamento e explora a falta de vontade dos homens de casar-se. Não dá nem para nomear aqui todos os prêmios que a canção ganhou, porque foi O hino do ano e um dos singles mais vendidos de todos os tempos. O clipe? Reproduzido por milhaares de famosos e não-famosos, a dança com as maõzinhas é lembrada até hoje, não importa qual seja o contexto.

2. Flawless – Uma das músicas mais recentes da cantora, presente no último álbum, é uma interpretação do discurso de que todos deveriam ser feministas, da Chimamanda Ngozi Adichie. Mostrando, mais uma vez, o poder gigantesco que cada um tem e que você é FLAWLESS até mesmo quando acorda de cara amassada. Depois, a canção ganhou um remix com ninguém menos que a outra diva Nicki Minaj – que é do caramba, para não dizer outra coisa.

1. Crazy In Love – É óbvio! Seu primeiro single do seu primeiro álbum solo foi o seu maior sucesso. Beyoncé e Jay-Z escreveram a canção juntos em 2003 e 12 anos depois ela ainda é lembrada como uma das músicais mais sensuais que existe. Chegando com tudo com esse single, quem não arrascaria que Beyoncé se tornaria o que se tornou? Há um estudo, por sinal, que comprova que se você ouvir essa música chegando à algum lugar, você fica bem mais confiante de si mesmo. A gente acha super que vale a experiência – porque é real! O clipe também é sempre lembrado, porque quem aguenta aquela caminhada da Bey, gente? E o clima entre ela e o Jay Z? Dá para ver que os dois estão on fire.

Bônus:

É realmente difícil escolher os melhores singles da Bey, gente. Então, para não causar discórdia aqui, nós colocamos mais duas músicas que a gente ama! Upgrade U, que está no álbum B’Day e que também conta com a participação do marido, mostra (de novo) o poder que a mulher tem para oferecer o melhor ao amado, melhorar o seu estilo de vida e sua reputação (e não ao contrário, como tentam nos convencer). A outra é Grown Woman, do seu último álbum, que de 2010, ela fala sobre mulheres que afirmam sua maturidade e ensinam aos pretendentes o que não pode acontecer quando se trata de relacionamentos porque, giiirl, I’m a GROWN WOMAN.

Comentários