publicidade
   

News

Jay Z e Tidal são processados por não pagar direitos dos artistas



Parece que está cada vez mais difícil para o Jay Z e o Tidal!

Jay Z e Tidal são processados por não pagar direitos dos artistas

Em meio a boatos de que o Tidal irá mudar de dono, Jay Z enfrenta um novo processo.

Iggy Azalea diz que queria apagar 2015 e as “controvérsias”
Rita Ora virá ao Brasil para evento beneficente, segundo jornalista
Remake de “A Star Is Born”, com Beyoncé, pode rolar

Quando Jay Z lançou o Tidal a intenção dele era que o serviço de streaming fosse a primeira a cuidar de artistas com pagamentos altos dos royalties. O rapper ainda afirmou que a plataforma pagaria cada artista, escritor e produtor de destaque na plataforma com um taxa de 75% de royalty (maior do que qualquer outro serviço de streaming na indústria).

Porém, John Emanuele, da banda American Dollar, junto com a agência Yesh Music, LCC estão processando a plataforma em uma ação de 5 milhões de dólares. O processo afirma que o Tidal transmitiu 116 músicas da banda sem pagar os direitos autorais.

A Complex conversou com o advogado do caso, Richard Garbarini, e confirmou que o processo já foi aberto durante o final de semana e que a banda não tem recebido os direitos desde novembro de 2015 e tem pedido há meses para que as músicas sejam removidas do Tidal. “Acho bastante surpreendente uma organização que afirmar que paga os artistas, mas sistematicamente não paga”, disse o advogado.

Supostamente, o Tidal usou números falsos para fazer os pagamentos dos artistas e pode ter rebaixado o dinheiro que devia a eles em 35%. A banda diz que eles esperavam relatórios mensais sobre pagamentos de royalties e uso de todas as músicas do serviço, mas nada nunca foi enviado, segundo a ação judicial.

A plataforma de streaming do rapper mandou um comunicado para a Complex sobre o processo e disse que ele estão atualizados em todos os direitos autorais devidos a Yesh Music e American Dollar.

“Tidal está atualizado em todos os royalties dos direitos de música com a Yesh Music, LLC e John Emanueles. Eles estão desinformados a respeito de quem, se há alguém, devendo pagamentos a eles. Como a Yesh Music, LLC admite em sua reivindicação, o TIDAL tem os direitos sobre as gravações originais através do distribuidor Tunecore e tem pago Tunecore na íntegra para tais direitos. A disputa deles parece ser sobre licenças mecânicas, que também são atualizados via Harry Fox Agency, nosso adminastrador de royalties mecânicos.

Todos os catálogos possuem menos de 13.000 vezes de streamings no TIDAL e isso é vem desde o ano passado. Nós agora removemos todas as músicas associadas a Yesh Music, LLC e John Emanuele do nosso serviço. Essa é a primeira coisa que ouvimos sobre essa disputa e Yesh Music, LLC deveria lidar com Harry Fox Agency se eles acreditam que estão devendo os royalties. Eles não devem mencionar, especialmente, a S Carter Enterprises, LLC, que não tem nenhuma conexão com Tidal. Essa afirmação serve como nada mais do que um exemplo perfeito que a America precisa de uma reforma de direitos”, diz o comunicado.

Recentemente a notícia de que o Tidal seria vendido para a Samsung começou a ser circulada. Nada foi confirmado, mas a plataforma de streaming pode mudar de dono e o rapper pode não ter mais nada a ver com ela. Outros interessados seriam o Google e o maior concorrente da plataforma, Spotify.

Comentários